MENSAGEM

"O nascimento do pensamento é igual ao nascimento de uma criança: tudo começa com um ato de amor. Uma semente há de ser depositada no ventre vazio. E a semente do pensamento é, o sonho. Por isso os educadores, antes de serem especialistas em ferramentas do saber, deveriam ser especialistas em amor: intérprete de sonhos."

Rubem Alves
Este Blog tem o intuito de refletir sobre a importância do desenvolvimento e visão dos educadores sobre à realidade e cultura dos educandos no processo de construção do saber, dando voz e vez a estes sujeitos, buscando formar cidadãos ativos frente a sociedade que se inserem e não meros receptores de informações.

Pesquisar este blog

Carregando...

Para Refletir!!!

Transforme seu sonho em um objetivo, é isto que nos dá força para agirmos e persistirmos aos nossos motivos para ação, a motivação que precisamos.
O grande diferencial dos vencedores e das pessoas de sucesso, é o sonho que tiveram, a forma como transformam esse sonho em objetivo de vida, coragem e a iniciativa para agir. Pense nisso!!!!

quinta-feira, 7 de julho de 2011

RESENHA DO FILME: INFÂNCIA ROUBADA

Tsoti: Infância Roubada, escrito pelo dramaturgo sul-africano Athol Fugard, foi transformado em filme com direção de Gavin Hood, fotografia de Lance Gewer e elenco de Presley Chweneyagae, Terry Pheto, Kenneth Mkosi, Mothusi Magano. Este filme ganhou diversos prêmios internacionais, entre eles o Oscar, a história de intenso apelo humano, narra as mudanças de um jovem marginal negro, com sua gangue de assassinos e assaltantes pelas ruas miseráveis de um bairro segregado da Johannesburgo do ano 1950, com pessoas vivendo aprisionadas de intolerância racial, cometendo crimes contra seu próprio povo. Neste mundo de violência e pobreza, a morte parece ser a única saída.
É uma história triste, de um membro de gangue que num dos seus atos inconsequentes, rouba um carro e descobre um nenén indefeso dentro, ao invés de matá-lo ou abandoná-lo, o que estaria de acordo com sua natureza delinquente, ele se comove e enxerga no bebê uma redenção para si mesmo, afinal ele já foi uma criança indefesa e abandonada.
O filme mostra uma pequena passagem da sua infância, sua mãe está morrendo e o pai não o quer perto dela, seu único amigo parece ser um cão que é morto pelo pai num ato de fúria e impaciência, talvez pelo desespero de ver sua família se desfazendo, o garotinho foge e passa a viver na rua, deste afeto coagido pelo pai, surge um violento criminoso. Porém quando este criminoso se vê diante de um bebê, filho de uma mulher por ele mesmo baleada, ele acaba se inclinando a cuidar da criança, como se quisesse dar todo o afeto que havia sido negado a ele pelo pai. Com isso o protagonista desenvolve um novo olhar acerca de tudo a sua volta, ele passa a distinguir seus amigos e as pessoas que realmente lhe têm carinho.
A redenção é uma ideia inerente a lógica cristã que inevitavelmente prevê o sacrifício, porém ela se torna falsa e superficial quando o protagonista em meio a diversas possibilidades não vê outra saída que não seja a de se entregar a policia. Como se para consertar um erro e se redimir fosse necessário uma punição, levando o castigo a uma importância ainda maior que é a boa ação - mais uma vez é o sofrimento que faz de uma boa ação algo especial. Não seria mais natural que Tsotsi reparasse seu erro sem se expor ao castigo, ao invés disso, vemos uma figura castrada que levanta seus braços arrependido, somente ele poderia consertar seu erro, porém também poderia tentar fugir, brigar e até morrer. Tudo isto seria mais natural para este personagem acostumado as leis das ruas. Talvez a redenção esteja quando Tsotsi se ajoelha, e sim quando ele devolve a criança roubada.
As trocas de olhares entre os personagens são mais valorizadas que o dialogo, e os atores corresponderam de forma positiva, com os olhos conseguem transmitir medo, inseguranças, apreensões e sofrimentos. Talvez para nos brasileiros, a historia do filme seja comum e provável, já que vivemos num país de tanta desigualdade social, inversão de valores e ausência de ética e moral.
A cena da rendição poderia então ser compreendida como a oportunidade extrema de uma redenção na substituição de Tsotsi por David. Assim, podemos perceber que o comportamento anti-social, que questiona epla atuação, um direito a um lugar, o colo e atenção da mãe, e um limite e significação para os seus atos na figura do pai, pode, caso não seja atendido, aumentar a sua área de ação e passar a ser destrutivo.
Frequentemente associamos o ato delinquente a pobreza e a criminalidade a carência material, hoje como educadores buscamos saber o que é ser criança, como esta o seu processo de formação? Como a criança esta inserida na sociedade? Qual o quadro familiar a que esta pertence para então conhecer o individuo que queremos formar.


Trabalho apresentado na Faculdade Asmec no 5º período de Pedagogia por Lu Rosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...